Unhas saudáveis

As mulheres geralmente têm um “caso de amor” com as unhas. Ele pode ser considerado um sinal de beleza e estética muito importante para a maioria delas. Por isso, a fraqueza das unhas é um problema importante que muitas  enfrentam e que pode ser ocasionado por diversos motivos. Os principais sinais do problema são unhas finas e que descamam com facilidade, têm aspecto poroso e apresentam manchas e irregularidades, além de ficarem mais vulneráveis ao ataque de fungos.

Para entendermos melhor, é importante saber que as nossas unhas são formadas por uma proteína chamada queratina. A consistência delas é resultado de reações químicas que ocorrem naturalmente na estrutura dessa proteína. Funciona como uma cola, que junta essas fibras de queratina, deixando a unha com a consistência que conhecemos.

O trauma constante das unhas pode levar a uma deficiência dessa cola, sobretudo quando estão presentes hábitos como manipulação de produtos químicos, exposição constante à água, problemas alimentares (como falta de vitaminas), vibrações transmitidas por instrumentos musicais, como é o caso de violinistas, tecladistas, entre outros.

Encontrar o motivo da fraqueza é o primeiro passo para tratá-la. Veja alguns exemplos que pode deixar suas unhas fracas:

    • Acetona ou removedor e esmaltes em excesso ressecam muito as unhas, tornando-as quebradiças, sem brilho e com manchas brancas na superfície.
    • Alimentação pobre em nutrientes e vitaminas.
    • Produtos químicos como detergentes e produtos de limpeza.
    • Fungos ou bactérias que se instalam nas unhas.
    • Anemias, hipotireoidismo, desnutrição por má absorção de nutrientes também são causas frequentes de unhas fracas ou que descamam.

Dica especial: Receita caseira para fortalecer as unhas.

  • Azeite de oliva
  • 5 gotas de limão

Misturar levemente e aplicar com um palitinho sem ponta, empurrando delicadamente a cutícula. Passar esta mistura por cima das unhas, em volta da cutícula, embaixo das unhas junto à pele dos dedos, abundantemente. Usar à noite, durante 7 dias.

Ao detectar algum sintoma, procure um dermatologista para identificar o diagnóstico.

Mente saudável

Além de um corpo saudável, a gente também precisa manter a memória bem protegida contra a ação do tempo. Precisamos então nutrir o cérebro. E para isso, seguir uma dieta rica em alguns nutrientes é uma ótima opção para evitar a fadiga, o estresse e alcançar mais concentração no dia a dia.

O cérebro usa 20% da energia do corpo. Ele precisa constantemente de oxigênio, que é recebido da corrente sanguínea, e usa aproximadamente 25% do oxigênio da nossa respiração. A fisiologia cerebral é altamente complexa e tem o poder de influenciar tudo que nós fazemos. Então uma dieta saudável que atende às necessidades do cérebro pode ajudar neurônios a alcançar um equilíbrio químico tornando nossa memória mais jovial.

Existem alguns nutrientes que ajudam a prevenir problemas de memória, de concentração, mal de Alzheimer e demais alterações neurológicas como, por exemplo, a proteína, o zinco, o ferro, o cálcio, a glicose, as vitaminas C, do complexo B e E, o selênio, a fisetina, a colina e, principalmente, o ácido graxo ômega 3.

Veja alguns alimentos que ajudam a evitar e amenizar alguns problemas, além de serem grandes aliados na reeducação alimentar.

Arroz Integral: os carboidratos fornecem energia para o cérebro constantemente.

Tomate: rico em fisetina, ativa o raciocínio, atenção e concentração.

Linhaça: tem Ômega 3, perfeito para ativar a memória.

Chia: auxilia na memória e concentração por ser rica em cálcio, ferro e ômega 3.

Leite: evita que o cérebro sofra sobrecarga com excesso de atividades mentais, por conta da vitamina B12 (cianocobalamina), além de ser fonte de glicose, combustível para o bom funcionamento dos neurônios cerebrais.

Carne de fígado: a vitamina B12, presente no fígado, ajuda o cérebro a produzir os neuro transmissores, resultando em uma memória saudável.

Salmão: fonte de ômega 3, melhora o desempenho cognitivo e o funcionamento do cérebro.